Espectrofilia: “O Fenômeno de Alegados Encontros Sexuais com Seres do Além”

Postado em Atualizado em

Desde os tempos antigos podem ser encontrados casos de pessoas que alegadamente reivindicaram ter tido intimidade de cunho sexual com fantasmas, espíritos, entidades e seres demoníacos.

espectrofilia
A Espectrofilia pode ser definida como o fenômeno sobrenatural que consiste em um encontro sexual entre entidades ou presenças do mundo dos espíritos ou fantasmas, com pessoas de carne e osso. E, embora a princípio possa parecer totalmente irracional para imaginar tal situação, o pano de fundo desse fenômeno data realmente muitos séculos atrás, quando as lendas e mitos dos gregos, nórdicos e romanos, em que suas histórias eram contadas que deuses e criaturas estranhas fornicaram com seres humanos, mesmo sendo para criar heróis ou semideuses.

A partir da Idade Média, entidades demoníacas comumente conhecidos como Íncubos e Súcubos foram os protagonistas de casos novos e suspeitos de espectrofilia onde entidades sobrenaturais tiveram relações com os seres vivos.

Súcubos
foram caracterizados como demônios numa forma de beleza feminina e bem sedutora em que tinham algumas características que entregavam sua filiação demoníaca (pequenos chifres, cauda terminada em triângulo, presas ou olhos de serpente), que possuíam sexualmente os homens durante o sono para absorver o sangue ou sua energia vital, exercendo uma influência moral e espiritualmente prejudicial, além de causar certas doenças físicas que poderiam até mesmo causar a morte.

incubus
Íncubus, pelo contrário, foram caracterizados como demônios masculinos que, através de relações sexuais com as mulheres, também drenavam a energia vital de suas vítimas pelo do sexo. No século XIX e XX uma teoria particular que ambos os Súcubos e Íncubos não eram demônios, mas almas desencarnadas lascivos que, não tendo ainda entrado no processo de nascer de novo em outro corpo, vagavam pelo mundo em níveis baixos, emergindo do mundo astral, onde estavam com desejos terrenos e tinham planos desenfreados como a volúpia que os excitava.

A Espectrofilia teve durante o século XX, no caso de Carla Moran (também conhecido pelo seu nome verdadeiro Doris Bithler) seu caso mais famoso e um dos mais documentados, que foi investigado por mais de 30 professores universitários. Moran, uma dona de casa respeitável da Califórnia, de acordo com a sua história e depoimentos dados por várias testemunhas, foi vítima na década dos anos 70, durante vários anos, um suposto estupro espectral por três entidades: enquanto duas entidades pequenas a seguravam, a entidade maior e mais agressiva a atacava sexualmente com certa regularidade.

carla_moran-doris_bither_01
As várias lesões físicas (hematomas nas pernas, mordidas, arranhões e feridas na região genital) com Carla Moran saia após cada ataque, foram uma das mais fortes evidências deste caso, que em outra oportunidade foi foi registrada por fotografia (sim, eles capturaram duas luzes estranhas em torno da mulher do corpo durante o sono!) e testemunhado por várias pessoas (como vários parapsicólogos e seu filho de 16 anos de idade, que foi ferido depois de ser atacado por uma entidade invisível durante a tentativa para ajudar a sua mãe e teve seu braço quebrado) .

Outros Casos

A maioria dos casos de Espectrofilia ocorrem durante o sono, que é um dos estados em que as mentes das pessoas parecem ser mais vulneráveis. Alguns especialistas dizem que muitas pessoas, depois destes atos, tendem a ficar “emocionalmente feridas, envergonhadas e confusas”, eles entram em contato com o lado baixo do mundo espiritual (em forma de pensamento) atraindo certas entidades espirituais ou até mesmo demoníacas, que podem tomar a forma de Íncubus e Súcubus. Outros, no entanto, afirmam que a maioria dos Espectrófilos geralmente são algum tipo de confusão em sua mente  durante parte do sono ou vigília, e que procuram inconscientemente usar a sua imaginação para se satisfazer sexualmente.

Enquanto a maioria dos alegados casos de Espectrofilia e encontros sexuais não são muito divulgados, pois as vítimas muitas vezes sentem vergonha de falar sobre um agressor sexual que não podem ver ou por medo de que ninguém possa acreditar ou mesmo que possam ser diagnosticados com algum um distúrbio psicológico.  A imprensa (especialmente os tabloides), já publicaram matérias de pessoas e celebridades com alegações de que afirmavam que já tiveram relações sexuais com fantasmas ou entidades sobrenaturais.

sexo espiritos
A “estrela” Kesha, por exemplo, já revelou durante um programa de rádio que sua canção “Supernatural” foi inspirada por uma suposta experiência erótica paranormal.

A modelo e atriz Anna Nicole Smith, entretanto, antes de sua morte, revelou que quando ele morava em sua casa no Texas teve vários encontros sexuais de uma outra vida com uma entidade sobrenatural. Conforme detalhado, pela primeira vez experimentou um terror profundo, mas depois mudou de ideia, porque ela tinha descoberto que seu visitante e parceiro paranormal “não a faria mal”.

A modelo e atriz ucraniana Natasha Blasick,  revelou que em uma ocasião, enquanto dormia sozinha em um quarto de hotel, foi visitada por uma “entidade vaporosa difusa em forma humana”. E, em 2011, Rhonda Baron, uma mulher de Arlington County, Virginia, disse à imprensa local que foi visitada durante a noite pelo fantasma do cantor Jim Morrison, que supostamente viveu na mesma casa que a mulher quando era uma criança. “Eu estava deitada quando o espírito veio, deitou-se ao meu lado e se virou para olhar para mim. Ele era como um nevoeiro e eu podia ver através dele”, disse a mulher, acrescentando que o espírito supostamente era a  “alma de Jim Morrison, porque ele não está feliz e assim retorna a esta casa, onde desfrutou de felicidade quando ele era uma criança”.

Tradução e adaptação por @fugadacaverna

Fonte

 

 

Anúncios