Bashar al-Assad: ‘Síria Estará Segura Quando o Ocidente Parar de Apoiar Terroristas’

Postado em Atualizado em

Após rejeitar o novo ‘Projeto de Constituição’ para a Síria, apresentado pela Rússia, o presidente sírio, Bashar al-Assad, rejeitou com sabedoria o conceito de administração Trump sobre implementação de “zonas seguras” dentro da Síria. Em primeira entrevista com a mídia ocidental desde a eleição de Donald Trump, Assad descreveu o plano como uma má ideia que não teria a capacidade real para proteger civis ou acabar com a crise síria.

assad-trump-putin-syria
Quando questionado pelo entrevistador sobre a declaração de Trump de que ele “criaria” absolutamente “zonas seguras” na Síria “para o povo sírio”, Assad respondeu dizendo:

“Mas, na verdade não protegerá [civis], não vai. As zonas seguras para os sírios só podem acontecer quando você tem estabilidade e segurança, onde não tem terroristas, onde não tem o fluxo e o apoio desses terroristas pelos países vizinhos ou pelos países ocidentais. Isto é onde você pode ter uma zona segura natural, que é o nosso país. Eles não precisam de zonas seguras. Não é uma ideia realista em tudo.”

Quando o entrevistador pressionou Assad sobre o fato de que tantos sírios foram deslocados e, portanto, “Como você pode opor zonas seguras?” Assad apontou diretamente para a raiz do problema. Ele afirmou:

“A primeira coisa que você tem que perguntar: por que eles foram deslocados? Se você não responder a essa pergunta, você não pode responder o resto. Eles foram deslocados por duas razões: em primeiro lugar, os atos terroristas e o apoio do exterior. Em segundo lugar, o embargo [dos EUA] sobre a Síria. Muitas pessoas não só deixaram a Síria por causa das questões de segurança. Como você pode ver, Damasco está seguro hoje, é quase vida normal, mas não por completo. Mas eles não encontram um caminho para a vida na Síria, então eles têm que viajar para o estrangeiro, a fim de encontrar a sua vida. Então, se você levantar o embargo, e se você parar de apoiar os terroristas … Eu estou falando de todos os que apoiaram terroristas, incluindo os Estados Unidos durante o governo de Obama. Se você parar todos esses atos, a maioria dessas pessoas vai voltar para o seu país.”

De fato. Neste curta entrevista, Assad ecoou o mesmo sentimento e soluções que eu e muitos outros pesquisadores sírios e analistas temos dizendo desde o início da crise, ou seja, se os Estados Unidos quiserem acabar com o terrorismo na Síria, basta parar de financiá-lo, apoiá-lo e orientá-lo. É simples assim. Os EUA também poderiam pedir aos aliados da Arábia Saudita, Turquia, Reino Unido, França, Catar e Israel que façam o mesmo. Poderiam trabalhar com a Rússia para eliminar os remanescentes de forças terroristas e poderiam fornecer informações e coordenar a Síria e a Rússia sobre o paradeiro de terroristas e das forças terroristas.

Devemos pedir ao governo Trump que ponha imediatamente fim a todo e qualquer apoio aos grupos armados na Síria,para pressionar os aliados dos EUA para parar de apoiar terroristas e começar imediatamente a reaproximação entre a Rússia e Síria, e olhar para o futuro como um investimento na reconstrução Síria como um país, colocando um fim imediatamente às sanções atualmente em vigor contra o povo da Síria.

Siga pelo Twitter: @fugadacaverna

Fonte

 

Anúncios