Lloyds: Estranho Relatório Adverte sobre “Epidemia de Distúrbios Globais”

Postado em Atualizado em

O mundialmente prestigiado Lloyds, apresentou um estranho relatório advertindo sobre uma “pandemia” de distúrbios civis globais que poderiam ameaçar a estabilidade internacional.

riot01
O Lloyds encomendou um relatório a uma consultora líder mundialmente em gestão de riscos, a Risk Advisory Group; tal relatório deveria analisar os fatores que poderiam provocar a propagação de distúrbios civis pelo mundo todo.

O relatório, intitulado “A disseminação da violência política, um marco para entender o aparecimento e propagação dos distúrbios civis”, revela que: “Os casos de disseminação de violência política estão cada vez mais frequentes e o efeito contágio, está cada vez mais rápido e potente”.

portada-informe
Especificamente, o chefe de gestão da exposição e resseguros, Trevor Maynard, adverte que os surtos globais de violência, estão cada vez mais propensos a tornar-se em “pandemias” de distúrbios civis.

Segundo o relatório, estas crescentes tendências estão levando a “um estado de transtorno generalizado, extremamente difícil de prever”, que coloca em risco a “estabilidade internacional”.

A pesquisa revela que o crescimento potencial de mal estar civil massivo entre a população, representa uma “dimensão muito importante de risco político”, e que os preparativos que estão acontecendo atualmente diante de tais cenários, são claramente insuficientes.

riot02
Embora seja um pouco complexo, vale a pena ler o resumo inicial do relatório, no qual são expostos os objetivos do estudo:

Os eventos como a Primavera Árabe e, mais recentemente, a onda de extremismo jihadista que afeta o Oriente Médio, demonstraram a possibilidade de que surtos de distúrbios localizados, desencadeiem eventos similares ao redor do mundo. Estes eventos podem provocar distúrbios civis generalizados, extremamente difícil de serem previstos.

Este “efeito contagioso” pode gerar o que o documento qualifica como “pandemias” de violência política (VP). Os resultados deste relatório sugerem que as interdependências que criam condições para esta violência política, são suscetíveis de tornar-se um fator cada vez mais importante na determinação da estabilidade internacional.

Este relatório conclui que, são necessários novos sistemas de avaliação de risco com a finalidade de dar sentido ao aumento da velocidade e a complexidade com que pode estender-se a violência política.

O relatório descreve uma metodologia de diagnóstico que combina análises de dados quantitativos para entender dinâmicas casuais complexas com análises qualitativas para antecipar comportamentos menos detectáveis, políticos e sociais.

A maioria dos estudos sobre a disseminação da violência política tentou utilizar um modelo estatístico para dar sentido ás múltiplas possíveis causas e interdependências.

riot03
Isto pode ser problemático, porque muitos analistas de risco que analisam o risco de disseminação de violência política, tendem a ser especialistas regionais e não dispõem necessariamente de habilidades necessárias para um modelo ou análise estatística adequada para considerar os impactos mais amplos.

Os estudo acadêmicos sobre a disseminação da violência política podem produzir resultados úteis, mas talvez foquem em tipos específicos de conflitos. Por isso, este relatório pretende estimular um desenvolvimento das abordagens analíticas que poderiam melhorar a identificação e avaliação dos mecanismos que provocam surtos de violência localizada, os quais possam estender-se até provocar uma pandemia generalizada de violência política.

Como vemos, é muito revelador que os especialistas de uma empresa tão prestigiada como o Lloyds, realize estudos para determinar quando e como podem iniciar-se distúrbios locais que provoquem distúrbios massivos no mundo todo, os quais o relatório qualifica como “Pandemia de Violência”.

O simples fato de que estas elites financeiras já estejam analisando a possibilidade que distúrbios massivos sejam gerados no mundo todo, iniciados por distúrbios locais, já é importante por si mesmo.

Isto nos quer dizer que para as elites, a possibilidade de que isto ocorra é real e deve ser estudado.

Se olharmos bem, não estão falando especificamente de terrorismo, mas sim de distúrbios civis não especificados.

Um dos parágrafos do texto, afirma que:

A disseminação da violência política tem sido uma característica constante no sistema internacional desde a década de 1960.

As pesquisas apresentadas neste relatório sugerem que os casos de disseminação de violência política (epidemias), se tornaram mais frequentes, e o efeito de contágio cresce cada vez mais rápido e impactante.

As tendências predominantes, que incluem a crescente penetração da Internet, a urbanização e a mudança dos equilíbrios geopolíticos, parecem ser fatores relevantes que provocam um maior risco de disseminação.

Estudos como este, confirmam que muitas das elites econômicas do planeta, têm uma inquietude real ante a possibilidade de que se gerem distúrbios generalizados e em massa.

A própria globalização e a facilidade para viajar e nos comunicarmos uns com os outros, seriam fatores chave que facilitariam a possibilidade de um contágio destes levantamentos civis.

riot04
No entanto, achamos que não há nenhuma razão atualmente que nos faça pensar que estas elites estejam em perigo.

É realmente surpreendente ver o conformismo idiotizado das massas e sua passividade e submissão insuportáveis ante os contínuos atropelos recebidos, especialmente nestes último anos.

A Espanha é um exemplo claro disso, onde os ladrões e os corruptos que roubam a população de mãos cheias, continuam sendo adorados pelas massas.

Após o que temos visto nestes últimos anos, a possibilidade de distúrbios civis (que não sejam por causa do futebol) é difícil de conceber agora.

No entanto, o estudo encomendado pelo Lloyds é real e nele se fala muito seriamente de “pandemia de violência política”.

Talvez agora não estamos imersos em condições para que ocorra este tipo de levantamentos de forma generalizada mas, talvez, estaremos no futuro e alguns já estão preparados para isso.

Eles sabem algo que não sabemos?

Fonte

Anúncios